Cuidados e dicas

Comportamento

Observar seu gato é o melhor jeito de entender seu comportamento.

Como fazer meu gato parar de arranhar os móveis?

Arranhar é uma atividade natural e normal para gatos - é uma espécie de demarcação de território, serve para alongar seus músculos, eliminar a camanda externa da unha, além dele simplesmente "adorar arranhar". O problema é se ele escolher justamente a poltrona da sala. Nesse caso, dar para o seu gato um poste de arranhar vai fazer com que ele exercite seus instintos naturais sem comprometer a mobília.

Gatos gostam de arranhar superfícies ásperas, portanto, um poste coberto com um carpete ou corda é ideal. O poste precisa ser alto para que seu gato possa se alongar totalmente - e também precisa ser seguro. Se o poste cair facilmente, seu gato pode ficar com medo dele. Caso o seu gato já tenha achado um lugar para arranhar, coloque o poste naquela área. Você também pode brincar com ele perto do poste e elogiá-lo quando o usar. Assim, aos poucos você pode levá-lo gradualmente para o local que você preferir (mas não muito longe de casa ou seu gato perderá interesse pelo poste).

Quando seu gato marcar um móvel com suas garras, ele também terá marcado o móvel com seu cheiro. Um produto que remove odores pode ser usado para evitar que ele volte para aquele móvel. Não puna o seu gato por arranhar os móveis, simplesmente ignore o comportamento indesejado e encoraje os bons. Você pode ainda cobrir as áreas dos móveis que seu gato gosta de arranhar com uma superfície escorregadia (como fita de face dupla ou polietileno), para torná-las menos atraentes.

Ajuda: sou alérgico ao meu gato!

Pode ser problemático descobrir que você é alérgico ao seu novo gatinho, mas existem várias medidas que você pode tomar para diminuir os sintomas. Pessoas com sensibilidade alérgica geralmente também são alérgicas a pó, acarídeos de pó e pólens. Deixar sua casa o mais livre de pó possível manterá a resposta alérgica reduzida e ajudará a pessoa alérgica a conviver melhor com o gato.

Depois de mexer no seu gatinho, lave as mão com água e sabão. Evite mexer em regiões de mucosa, nariz, boca e olhos, sem ter lavado as mãos. Na verdade, é a saliva seca e flocos de pele (conhecidos como "caspa") que produzem a alergia - não necessariamente o pelo do gatinho.

Passar o aspirador todos os dias reduzirá a quantidade de caspa e poeira na sua casa. Não se esqueça também de lavar a cama do seu gato regularmente (a cada 10 ou 14 dias) para reduzir a caspa e os ácaros de pó.

Mantenha seu gato fora do quarto - pelo menos até que a alergia esteja controlada. Purificadores de ar podem ajudar bastante. Também pode ajudar consultar seu médico, já que existem eficientes tratamentos para reduzir e, em alguns casos, até mesmo eliminar a alergia a gatos.

Cães e gatos.

É uma boa idéia trazer um cachorrinho e um gatinho para dentro de casa ao mesmo tempo?
Um cachorrinho e um gatinho crescendo na mesma casa provavelmente se tornarão grandes amigos. Eles são igualmente brincalhões e se beneficiarão e aprenderão com a mútua companhia. Apresentar um cachorrinho a um gatinho é muito parecido com apresentar um gatinho a um animal de estimação mais velho. Simplesmente procure fazer com que a experiência seja o mais agradável possível para os dois, usando guloseimas e elogios e dando atenção a ambos. Dessa forma eles aprenderão que, quando estão na companhia um do outro, coisas boas irão acontecer.

Um gatinho pequeno ainda não aprendeu a ter medo de cães e tanto ele quanto um cachorrinho estão abertos para novas experiências. Mas você deve tomar cuidado se seu cachorrinho mostrar algum desejo de correr atrás do gatinho. Uma coleira deve ser usada no cachorrinho até que os dois se conheçam melhor. Fazer com que o cachorrinho entenda os comandos "senta" e "fica" ajudará nesse momento também.

Muitas vezes se diz que, quando um cão e um gato compartilham uma casa, o gato geralmente tem a última palavra. É uma dupla que fornecerá alegria, companhia e sem dúvida algumas risadas para toda a família.

Entendendo os gatos.

Eles geralmente odeiam água e podem ter suas próprias idéias sobre quem é o dono daquela espreguiçadeira que está no canto. Entretanto, gatos geralmente são muito fáceis de conviver, pois suas necessidades são simples. A chave para um relacionamento feliz com o seu gato é entender os instintos que regem o seu comportamento - a necessidade de uma base domiciliar, um território, a caça, atividade sexual e linguagem corporal. A seguir, descrevemos um breve histórico sobre gatos na sociedade e exploramos alguns tópicos importantes que podem ajudar quando você estiver tentando entender o que ele quer.

Um breve histórico sobre gatos.
Os egípcios antigos foram os primeiros a domesticar gatos 5.000 anos atrás, quando eram usados para proteger lojas de grãos contra vermes e também valorizados por seu companheirismo. Mais tarde, foram reverenciados como a reencarnação de Bastet, a Deusa da maternidade e da fertilidade. O alto status dos gatos no Egito contrastou com sua perseguição na Inglaterra Medieval, onde eram considerados sinistros, astutos e maus. Gatos pretos eram particularmente odiados. Os gatos somente se tornariam mais populares no Ocidente durante o século 17.

Por que adoramos gatos?
Porque são leais, amigáveis e companheiros. Porque gostam da companhia de velhos e jovens igualmente. Porque são sensíveis aos nossos humores e compartilham um entendimento comum conosco. Ter um gato é um dos maiores prazeres na vida.

Questão de território.
Seja uma casa no campo ou um apartamento na cidade, gatos gostam de uma base domiciliar segura a partir da qual podem estabelecer seu território. Esse é um comportamento instintivo, de quando os gatos tinham que caçar para sobreviver - quanto maior o território, maior a chance de conseguir mais comida. Machos têm uma maior necessidade territorial que as fêmeas, muitas vezes reivindicando até dez vezes mais.
Gatos usam arranhões, cheiros e sons para marcar limites territoriais. Machos não-castrados muitas vezes marcam objetos com urina, como outros gatos quando estão disputando status. Esses comportamentos territoriais são mais evidentes se você tiver mais de um gato vivendo na mesma casa. Geralmente, é uma boa idéia deixar gatos novos se familiarizarem com seu ambiente antes de conhecerem qualquer outro gato ou animal na área. Ainda assim, mesmo um gato solitário gosta de estabelecer seu território. Seu gato pode até disputar a propriedade de um lugar favorito com você.
Muitas vezes existe uma hierarquia entre gatos. Isso pode ser estabelecido por ocasionais demonstrações de agressão. Como o território, o domínio está sujeito a mudanças, especialmente se o gato dominante ficar doente ou for enfraquecido de alguma outra forma.

Mantenha-os ocupados.
Gatos gostam de variedade e estímulo. Se quiser sair de casa, existirão muitas coisas que fornecerão isso. Gatos que ficam dentro de casa precisam de um ambiente rico, incluindo diferentes lugares para dormir ou se esconder, mobília e prateleiras para se mover e, o que é mais importante, muito calor. A postura do seu gato lhe dirá se ele está quente o bastante: esticado e exuberante está bem, encolhido significa que está sentindo frio e talvez não queira sair.

Gatos e água.
Gatos são conhecidos por odiarem água. Até mesmo um banho leve já é o suficiente para fazê-los se secarem e se escovarem obsessivamente. Existem exceções, com gatos Turkish, que gostam de nadar. E quase todos os gatos parecem se esquecer de seu repúdio à água se tiver um peixinho dourado nadando dentro dela. Quanto à água de beber, obviamente você deve se certificar de que seu gato beba sempre o suficiente, para evitar problemas urinários.

Caça.
Caçar pode ser desagradável, especialmente se seu gato trouxer a caça para casa. Contudo, puni-lo não levará a nada. O instinto está profundamente enraizado e a habilidade é aprendida enquanto ainda são filhotinhos. Gatos caçam independentemente de estarem muito bem alimentados e podem até levar a caça para você porque querem ser parabenizados. Mesmo assim, existem coisas que você pode fazer para reduzir a caça. Atividades substitutas, como brincar, costumam funcionar, já que ele tem mais estímulo para ficar em casa à noite. Uma outra boa idéia é colocar um sino na sua coleira para avisar os pássaros e outras presas de que ele está na área.

Linguagem corporal.
Seu gato tem um vocabulário extenso, além de ronronar quando está contente, miar buscando atenção e até mesmo uivar, também se comunica através de posturas corporais e pela posição de suas orelhas, boca e rabo. Bom senso geralmente ajudará a entender o que seu gato está dizendo. Por exemplo, os olhos semi-abertos de um gato geralmente são um sinal de que ele está contente e completamente relaxado. Isso muitas vezes é acompanhado pelo ronronar e pelo esfregar entre as pernas do dono, ou então por uma espécie de massagem que ele dá em quem o está acariciando, abrindo e fechando os dedos e apalpando -um resquício aliás do que os gatinhos fazem para estimular o fluxo de leite da mãe. As orelhas também são muito reveladoras: para frente quando estão em alerta, para trás quando nervosos e totalmente abaixadas e para trás quando estão assustados ou bravos. O rabo também é bastante expressivo: quando aponta para o alto é um indício de boas vindas, balançando levemente, mostra que ele está sentindo prazer e antecipação, ou se estiver agitado ou batendo, é sinal de que ele está irritado. Os donos também aprendem a distinguir os vários tipos de miado, desde o que significa que o gato está procurando o dono ao miado furioso dizendo que ele definitivamente não quer entrar naquela cesta. Impossível esquecer, além do mais, da visão assustadora de um gato com os pelos espetados para cima, e "cuspindo" ou "assoprando". Quando fazem isso, geralmente eles ficam de lado, para que pareçam maiores ao invasor percebido.
Uma última palavra sobre a língua dos gatos. Como ele a usa não somente para sentir gostos, mas também para cheirar, escovar-se e interagir com outros gatos, é melhor não deixar que ele beije ou lamba as pessoas. Certifique-se de explicar isso para qualquer criança que queira brincar com ele.

Comportamento sexual.
Dizem que uma fêmea no cio está "chamando". Isso geralmente acontece na época de acasalamento (do final do inverno ao final do verão), apesar de gatos que ficam em casa acasalarem o ano todo. Fêmeas que chamam muitas vezes costumam preocupar donos inexperientes, já que podem ficar barulhentas e agitadas, muitas vezes se contorcendo e rolando no chão. Da mesma maneira, os machos podem perambular, brigar e urinar pela casa. A solução para os dois casos é castrar, especialmente se você não quiser gatinhos. Certifique-se de falar com seu veterinário antes, se for isso o que você quer fazer.

Os sentidos do gato.

O comportamento é influenciado também pela percepção sensorial, que funciona de forma diferente em gatos do que nos seres humanos.

Os olhos
Na parte posterior do olho, os gatos têm células foto sensíveis que permitem uma boa visão noturna. Os olhos dos gatos brilham a noite porque eles se expandem com a ausência de luz. Na luz do sol, o olho se estreita e fica parecendo uma fenda.

Como o cão é conhecido como o nariz dos animais, o gato é considerado os olhos dos animais. Com seu amplo campo de visão de aproximadamente 200 graus (o homem tem apenas 180 graus) eles podem até mesmo ver uma formiga rastejando seis metros atrás dele através da grama.

As orelhas
A audição felina é pelo menos três vezes melhor que a do homem. A orelha de gato pode perceber até 60 mil vibrações, a do ser humano só até 20 mil.
É compreensível, porém, que os animais sejam acusticamente sensíveis a pessoas gritando e odeiem música alta. Importante: Se os gatos são repreendidos durante os períodos de medidas educativas, devem ser, simplesmente, pela voz. Eles sabem muito bem interpretar as nuances dos diferentes tons de voz utilizados.

Bigode
Os bigodes são uma espécie de aviso de radar, mesmo no escuro orientam o espaço. Eles agem como detectores de estímulos externos, manisfestando também o olfato e o tato apurado dos gatinhos.
Estes “pelos faciais” também nos indicam o humor do gato. Por exemplo, quando um gato está bravo ou na defensiva, o bigode fica para trás; quando o gato está feliz, curioso ou contente, o bigode fica mais relaxado e para frente.
Por isso nunca corte ou apare o bigode do seu gato.

O sentido do olfato
Quando os dois gatos se encontram, eles tomam contato com o nariz e decidem se gostam ou não do cheiro. Os gatos também marcam as pessoas com suas glândulas odoríferas que estão na cauda, lábios, queixo e em ambos os lados da cabeça. Alguns cheiros podem colocar os gatos em uma verdadeira sensação de frenesi, como por exemplo a valeriana ou catnip (erva do gato).

Boca
Na boca, os gatos tem um órgão conhecido como órgão de Jakobson, que sente "uma mistura de cheiro e sabor”.
Com o lábio superior e parte do nariz, o gato suga um odor particularmente intenso.

O sentido de localização
Um gato pode encontrar sua casa há centenas de quilômetros de distância. Em experimentos conjunto de pesquisadores, foram colocaram gatos em um labirinto com 24 saídas - cada animal escolheu a saída exata onde estava localizada sua habitação.

A compreensão da linguagem corporal.

Os gatos dizem com sons, gestos, sinais de expressões faciais e linguagem corporal como eles se sentem.
O cientista comportamental e veterinário, Dr. Michael W. Fox afirmou que eles têm 16 diferentes padrões de som. Se o gato tem um desejo, torna-se absolutamente claro: eu estou com fome, eu quero sair, eu quero colo...

Fala
Meow: "Eu preciso ..." ... Atenção, comida ou alguém que vai abrir a porta.
Gurrlaute: descontraído bate-papo, bem-vindo.
Ronronar: "Tudo bem", "Eu sou calmo."
Hiss: "Vá embora, eu sou venenosa".
Rosnar: "Fique longe, estou bravo!"

Olhos
Dilatados: defesa por sentir ameaça.
Piscar: contato, o equivalente a conciliação, o nosso sorriso.

Orelhas
Frente: "Estou bem."
De lado: "Algo está errado aqui."
Voltar para o futuro: "Agora vou ficar chateado!"
Curvadas para trás: "Eu?”
Deitadas: "Agora eu vou me defender."

Cauda
Erguida: "Olá, bom ver você"
Abanar: Dependendo da intensidade do estresse, emoção, raiva.
Baixa: horror, ameaça.

O que o gato diz:
Além disso, há uma linguagem corporal expressiva disponível.

"Olá, olá."
As pessoas dão-se uma mão de boas-vindas. Gatos tentam encostar a cabeça.

"Olá, boa noite!"
Se este for o seu exemplo do escritório: um ronronar de gato acariciando suas pernas, "marcando" com a sua fragrância.

"Brinca comigo".
O gato vem, você deve apresentar um brinquedo a seus pés e empurrá-lo com patas e cabeça.

"Venha perto de mim, porém não muito perto!"
Elevação da pata e olhos estreitados. A cauda se move incessantemente para frente e para trás.

"Eu quero estar com você, eu estou cansado e eu confio em você."
O gato deita-se com você, mas mostra-lhe as costas e nádegas.

"Eu sou o maior, só não tentar me enganar ".
Faz uma corcova para que pareça maior.

"Estou terrivelmente chateado. Havia um animal hostil."
Balança a cauda quando se sente ameaçado por algum outro animal.

"Gosto de você".
O gato vai lamber e morder suavemente na mão.

"Oh, vergonha!"
O gato recebe um sermão e fica terrivelmente desconfortável. A reação: começa a escovar os pelos agitado - uma distração embaraçosa.

"Eu gosto de ver, mas quero cochilar."
As orelhas estão relaxadas, os olhos semicerrados.

Gatos usam todo o corpo para se comunicarem. Das orelhas à ponta do rabo, existem informações sendo transmitidas em qualquer movimento. Aprender a ler a linguagem corporal felina é um estudo fascinante para os donos.

Existe uma enorme riqueza de informações no rabo do gato, por exemplo. Quando está para o alto, seu gato está se sentindo bem e pronto para interagir. Batendo ou com um movimento forte de balanço, pode indicar irritação - quanto mais rápido for o movimento, mais agitado estará o seu gatinho. Mas se ele estiver balançando lentamente, é sinal de que seu gato está curioso e interessado no que está acontecendo, ou que ainda não se decidiu se está feliz ou irritado. Quando as orelhas estão inclinadas para frente, elas também sugerem que seu gato está curioso e amigável.

Quando ameaçados, os gatos podem fazer com que seus corpos pareçam maiores, arqueando as costas e arrepiando o pelo. Isso não significa que estão prestes a atacar - geralmente é um blefe e simplesmente indica que estão tentando parecer ameaçadores. "Cuspir" e mostrar os dentes é outro aviso. Um gato que olhar diretamente nos seus olhos com os próprios olhos semi-abertos indica que o ama e confia em você. E quando ele virar a barriga para você coçar e acariciar, isso também indicará confiança total. Se, quando estiver prestes a ser acariciado, o gatinho levantar as costas para alcançar a sua mão, isso é também um sinal de afeto - seu toque passa uma sensação boa a ele.

Existe outro lado da linguagem corporal - o lado humano. Seu gato também observa seus sinais e provavelmente está mais consciente deles do que você mesmo. E, apesar de existirem muitos sinais universais, haverá outros que serão exclusivos do seu gato. Cada animal encontra sua própria maneira de se comunicar.